Aprender é memorizar! Numa forma bem simples, podemos dizer que sim, memorizamos as informações, os dados e os procedimentos de tal forma que sejam facilmente lembrados quando precisamos deles.

A maneira de aprender é decisiva. Aprender de forma eficiente evita que você fique memorizando um amontoando de informações, desordenadas e desnecessárias, e fique com dificuldades de lembrar daquilo que é realmente importante. Faça o FastRead Leitura Dinâmica, como mostra o vídeo:


É comum as pessoas lerem livros didáticos, textos ou outros portadores de informações de forma desordenada, muitas vezes até alucinadamente, na ânsia e necessidade de aprender, e acreditam que lendo depressa reterão mais informações. Isso é um erro grave.

Você já parou para pensar que nós raramente esquecemos coisas que aprendemos quando criança? A criança tende a repetir o que os adultos falam e fazem. O ser humano aprende, preferencialmente, pela repetição, aquilo que é repetido é memorizado.

Memorizar é o ato de lembrar, de conservar ou fixar na memória. Significa retenção, fixação de conteúdo, de aprendizado. A memorização é também chamada de aquisição mnemônica voluntária que é um conjunto de operações metódicas que auxiliam a fixação de informações e conhecimentos na memória.

Entretanto, repetir pelo simples fato de repetir não é considerada uma boa estratégia de estudo, pode levá-lo a perder tempo no processo.

A conclusão é que a memorização pode acelerar o resultado da aprendizagem com simples ferramentas e mudanças de hábitos que sabotam sua rotina de estudo com o curso Renato Alves funciona.

Para melhorar a sua capacidade de memorização, veja as dicas:

1) faça simulados – os testes e exercícios ajudam a criar memória de longa duração;

2) faça perguntas – questione o professor, tire dúvidas, não é bom sair da aula com elas;

3) releia – ninguém aprende ou memoriza na primeira na primeira ou com uma única leitura;

4) sente-se na primeira fileira – a concentração é uma função cerebral que precisa de estímulo;

5) descanse – cansaço é inimigo da memorização;

6) durma – durante o sono o cérebro consolida tudo o que foi aprendido no dia;

7) fale com você mesmo – durante a leitura fale com você sobre determinados pontos do texto, faça traduções;

8) resumos e fichamentos são poderosas ferramentas para a memorização;

9) só comece a estudar quando estiver relaxado, a ansiedade não colabora para a memorização;

10) não se preocupe em memorizar nada, apenas estude, faça as anotações necessárias e importantes. Deixe o resto com o seu cérebro, ele fará o trabalho!

Lembre-se que o nosso cérebro esgota com facilidade se for submetido por um longo tempo a uma mesma operação. A cada duas horas dê uma paradinha de 15 minutos, faça um intervalo para ouvir uma música, tomar um suco, conversar com alguém um pouquinho. Não ultrapasse duas horas contínuas de estudo.

O jogo da memória, que todos conhecemos e deixamos nos tempos de criança, é um excelente exercício para melhorar a concentração e, por conseguinte, desenvolve a percepção e descontrai a mente. Pode ser usado na preparação para o estudo. Jogue sempre!

Submeter o conteúdo as nossas três memorias é uma excelente estratégia, a memória visual é quando fazemos relações com imagens, a memória auditiva pode ser ajudada pela leitura em voz alta e a memória sinestésica pode ser desenvolvida contando com gestos aquilo que foi estudado.