A memorização como técnica de estudo, extraindo o seu melhor

Aprender é memorizar! Numa forma bem simples, podemos dizer que sim, memorizamos as informações, os dados e os procedimentos de tal forma que sejam facilmente lembrados quando precisamos deles.

A maneira de aprender é decisiva. Aprender de forma eficiente evita que você fique memorizando um amontoando de informações, desordenadas e desnecessárias, e fique com dificuldades de lembrar daquilo que é realmente importante. Faça o FastRead Leitura Dinâmica, como mostra o vídeo:


É comum as pessoas lerem livros didáticos, textos ou outros portadores de informações de forma desordenada, muitas vezes até alucinadamente, na ânsia e necessidade de aprender, e acreditam que lendo depressa reterão mais informações. Isso é um erro grave.

Você já parou para pensar que nós raramente esquecemos coisas que aprendemos quando criança? A criança tende a repetir o que os adultos falam e fazem. O ser humano aprende, preferencialmente, pela repetição, aquilo que é repetido é memorizado.

Memorizar é o ato de lembrar, de conservar ou fixar na memória. Significa retenção, fixação de conteúdo, de aprendizado. A memorização é também chamada de aquisição mnemônica voluntária que é um conjunto de operações metódicas que auxiliam a fixação de informações e conhecimentos na memória.

Entretanto, repetir pelo simples fato de repetir não é considerada uma boa estratégia de estudo, pode levá-lo a perder tempo no processo.

A conclusão é que a memorização pode acelerar o resultado da aprendizagem com simples ferramentas e mudanças de hábitos que sabotam sua rotina de estudo com o curso Renato Alves funciona.

Para melhorar a sua capacidade de memorização, veja as dicas:

1) faça simulados – os testes e exercícios ajudam a criar memória de longa duração;

2) faça perguntas – questione o professor, tire dúvidas, não é bom sair da aula com elas;

3) releia – ninguém aprende ou memoriza na primeira na primeira ou com uma única leitura;

4) sente-se na primeira fileira – a concentração é uma função cerebral que precisa de estímulo;

5) descanse – cansaço é inimigo da memorização;

6) durma – durante o sono o cérebro consolida tudo o que foi aprendido no dia;

7) fale com você mesmo – durante a leitura fale com você sobre determinados pontos do texto, faça traduções;

8) resumos e fichamentos são poderosas ferramentas para a memorização;

9) só comece a estudar quando estiver relaxado, a ansiedade não colabora para a memorização;

10) não se preocupe em memorizar nada, apenas estude, faça as anotações necessárias e importantes. Deixe o resto com o seu cérebro, ele fará o trabalho!

Lembre-se que o nosso cérebro esgota com facilidade se for submetido por um longo tempo a uma mesma operação. A cada duas horas dê uma paradinha de 15 minutos, faça um intervalo para ouvir uma música, tomar um suco, conversar com alguém um pouquinho. Não ultrapasse duas horas contínuas de estudo.

O jogo da memória, que todos conhecemos e deixamos nos tempos de criança, é um excelente exercício para melhorar a concentração e, por conseguinte, desenvolve a percepção e descontrai a mente. Pode ser usado na preparação para o estudo. Jogue sempre!

Submeter o conteúdo as nossas três memorias é uma excelente estratégia, a memória visual é quando fazemos relações com imagens, a memória auditiva pode ser ajudada pela leitura em voz alta e a memória sinestésica pode ser desenvolvida contando com gestos aquilo que foi estudado.

Quais os benefícios do glúten

Nos dias atuais o desejo de muitas pessoas é ficar em forma e com tantas dietas no mercado, elas tem a opção de escolher qual seria a mais indicada para chegar ao seu objetivo.

A dieta sem glúten, por exemplo, tem conquistado muitas pessoas, elas simplesmente cortam alimentos que contem a proteína do glúten que está presente no trigo centeio, cevada, malte e aveia e que são feitos alimentos como pães, tortas, bolos, biscoitos, pizza, lasanha dentre outros.

Mais para muitos especialistas cortar totalmente o glúten da sua alimentação pode causar alguns riscos afetando diretamente a sua saúde. Pessoas que cortam totalmente esses alimentos perdem nutrientes como vitaminas, minerais como o zinco, fósforo e cálcio que são encontrados na maior parte dos carboidratos. Existe vida após o glúten?

gluten

O glúten por ser um carboidrato irá te dar mais sensação de saciedade evitando que o individuo coma outros alimentos em excesso, você pode sim incluir o glúten na sua alimentação dando mais preferencia as opções integrais como pães integrais, biscoitos integrais, tortas integrais e lembrem-se alimentos sem glúten tem um custo beneficio mais alto que os tradicionais além de serem calóricos.

 Os benefícios de consumir alimentos com glúten são:

Principal fonte de energia: Quando consumimos carboidratos temos mais disposição para realizar afazeres são eles que ira fornecer fontes de energias que são importantes para a realização de atividades como andar, correr, praticar algum exercício físico ou trabalhar.

Proteção para os músculos: Quando não ingerimos glúten há uma grande falta de carboidratos deixando o nosso músculo vulneráveis e assim é preciso que o nosso corpo recorra às energias das proteínas para se recuperar das lesões, e se tiver carboidratos os músculos ficam mais fortes sem precisar utilizar as proteínas.

Aliado do humor e bem-estar: A diminuição do consumo de carboidratos pode afetar a produção de serotonina, um neurotransmissor capaz de influenciar o humor e o bem estar dos indivíduos.

Sabendo escolher os alimentos certos é possível consumir glúten de forma moderada sem prejudicar a sua saúde.

Dieta para quem possui Diabetes

O que é preciso ser levado em consideração na dieta desses pacientes?

Elaboramos uma lista com as principais atenções que é necessário ter em um cardápio elaborado para um diabético. É necessário saber que a comida dessas pessoas não precisa ser sem tempero e sem sabor, mas alguns fatores precisam ser atentamente observados – mesmo quando se está tomando insulina. Vamos aos principais deles:

 

Diabetes e a pessoas

1# – É importante ter em mente que você precisa comer várias vezes por dia – em poucas quantidades. Tente manter um intervalo de 3 a 4 horas entre as refeições. Portanto, não exagere em uma refeição e não fique várias horas sem comer;

2# – Siga a dieta regularmente. Isso inclui finais de semana e feriados;

3# – Mantenha fixos os horários de refeições e procure também não abusar na variação de um cardápio de um dia para o outro. Se estiver querendo fazer mudanças, faça de maneira gradativa;

4# – Coma qualquer tipo de fruta – mas apenas uma por refeição;

5# – Arroz, feijão e massas podem ser consumidos moderadamente e sempre acompanhados de verduras e legumes;

6# – Pães devem constar na dieta – também de forma moderada;

7# – Evite gordura de origem animal;

8# – Evite queijos gordurosos. O ideal é manter a refeição à base de queijo minas e ricota, mas prestando atenção para não exagerar na quantidade;

9# – Cozinhe e tempere alimentos com óleos vegetais;

10# – Prefira carne branca (aves e peixes) em relação às vermelhas. Tente não comer mais de uma porção média por refeição.

diabete

Para terminar este artigo, recomendo que você leia sobre como o diabetes pode ser controlado apenas trabalhando a sua alimentação. Assim, recomendo que assista o Dr Rocha Diabetes.